22 de setembro de 2012

Igreja de São Francisco de Assis em Diamantina

Este livro, publicado pelo IPHAN a partir do Programa Monumenta, traz um relato rico em imagens e descrições não só do processo de restauro da Igreja de São Francisco de Assis de Diamantina, como também um importante material de estudo sobre artistas setessentistas que trabalharam na região dos diamantes. O trabalho resgata toda a vida da igreja desde a decisão dos irmãos da Ordem em erguer um templo próprio, passando por inúmeras reformas, até o ano de 2009, quando a igreja foi cuidadosamente restaurada. Durante esse trabalho, além de problemas estruturais corrigidos, se descobriu maravilhosas pinturas escondidas, durante cerda de 110 anos, por trás de repinturas realizadas anteriormente, sem qualquer preocupação histórica. O livro traz ainda, um valorozo estudo da sociedade da época do Ciclo do Ouro e revela como a religiosidade norteava a vida de moradores das mais variadas classes. Enfim, um material de pesquisa histórica de valor incalculável.

 Igreja de São Francisco de Assis em Diamantina
Selma Melo Miranda - 330 páginas - IPHAN

15 de setembro de 2012

A Guerra no Ártico

Um registro histórico de um capítulo pouco divulgado sobre a Segunda Guerra Mundial, a luta travada entre aliados e alemães no mar gelado do Ártico. Após minuciosa pesquisa e muitas entrevistas com sobreviventes, Georges Blond foi capaz de narrar com clareza de fatos, nomes e datas, a luta dos aliados para levar até os portos russos, comboios marítimos carregados de armamentos, provisões e até veículos de guerra. Como se não bastasse as dificuldades de navegação em lugar tão inóspito, os aliados tiveram de enfrentar navios, aviões e submarinos alemães decididos a impedir a passagem dos comboios. O autor optou por uma narrativa simples e direta, sem romancear os fatos e, apesar da falta de diálogo, a leitura fluiu bem e possibilitou reviver boa parte da história narrada.

A Guerra no Ártico
Georges Blond - 257 páginas - Flamboyant

Inconfidências Mineiras

Inconfidências Mineiras traz, não um livro de história com fatos narrados de forma didática, mas sim, a história aprendida no colégio escrita de forma a dar vida e voz às personagens. O romance-histórico gira em torno de Bárbara Heliodora, esposa do inconfidente Alvarenga Peixoto e seu envolvimento com esse momento histórico tão importante do nosso passado.  O livro, baseado em estudos históricos, é ficcionalmente narrado por Iria Claudiana, irmã de Bárbara Heliodora, de quem a autora é descendente direta. Ao reconstituir a vida de uma das poucas mulheres envolvidas na Inconfidência Mineira, a autora nos leva a uma viagem pelos usos e costumes da sociedade mineira durante o período da decadência do ouro e os planos de sonho de liberdade. Sem dúvida uma leitura rica e prazeirosa capaz de despertar o interesse por nossa história.

 Inconfidencias Mineiras
Sonia Sant'Anna - 132 páginas - Jorge Zahar

26 de agosto de 2012

Paris no Século XX

Apesar de não ter sido um de seus últimos livros, Verne se mostra extremamente pessimista ao mostrar uma Paris cem anos à frente do seu tempo onde apenas as máquinas e as ciências são valorizadas e mesmo, permitidas. O livro pode não ter a mesma força que os clássicos "Volta ao Mundo em 80 dias" ou "Viagem ao centro da Terra", mas ainda assim se percebe a visão futurista do autor, uma das caracteristica marcante de sua obra, mas achei o enredo em si, fraco e os personagens vazios, praticamente, apáticos tal qual seria toda Paris do século XX como ele propuzera. Não senti amor ou fulgor suficiente nos personagens ditos insatisfeitos com a falta das artes, da literatura e dos romances. Outro ponto que merece destaque é o excesso de personalidades comuns à literatura francesa, o que por vezes torna o texto cansativo para quem não é familializado com tais personalidades. Aos ainda não iniciados na obra de Verne, Paris no século XX pode não ser a melhor opção, mas pode ser interesante para aqueles que já conhecem o universo visionário do autor.

Saiba mais sobre...  Paris no século XX
Julio Verne - 225 páginas - Ática

17 de agosto de 2012

A Longa Jornada

A ideia pode até parecer infantil, um bando de coelhinhos se vêm forçados a fugir de suas tocas pela ação invasora de homens. Mas o que poderia ser apenas uma linda história com criaturinhas dóceis e peludinhas se revela uma trama de sobrevivência onde essas criaturinhas pensam, se comunicão e agem, mas não de forma lúdica. Tudo é narrado do ponto de vista dos coelhos selvagens em relação à sua realidade diante do homem e demais predadores. Ao presentir um grande perigo alguns coelhos decidem empreender longa viagem em busca de um lugar seguro para construírem uma nova coelheira, mas nada será fácil para esses pequeninos que têm na natureza inimigos de todos os tipos, inclusive dentro da própria raça. A primeira parte da jornada é cumprida, porém eles têm uma outra preocupação, não há fêmea na nova coelheira e é necessário consegui-las para que a coelheira tenha sequencia. Começa então uma segunda jornada até uma coelheira distante comandada por um coelho digamos, ditador e o que se segue é uma sequencia de sangrentas batalhas onde a inteligencia e a força são armas poderosas utilizadas pelos dois lados. O livro é tão bem escrito e articulado que eu poderia escrever outro livro apenas falando sobre ele. Enfim, a Longa Jornada é um daqueles livros capazes de nos transformar em personagens e nos fazer sentir, agir e pensar como tal. Sem falar que traz um dos meus temas preferidos a "sobrevivência" e animais com os quais tenho extrema empatia.

Já estou sentindo saudades de Aveleira, Cinco-Folhas, Manda-Chuva, Prata, Amora-Preta, Panelinha de Barro, Espinheiro Cerval, Dente-de-Leão, Bolota, Verônica ... e até mesmo do General Vulnerária.

Saiba mais sobre... A Longa Jornada
Richard Adams - 432 páginas - Nova Fronteira